ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Espectroscopia de ressonância magnética do câncer de mama para avaliar a resposta precoce ao tratamento: resultados do ensaio ACRIN 6657 MRS

Espectroscopia de ressonância magnética do câncer de mama para avaliar a resposta precoce ao tratamento: resultados do ensaio ACRIN 6657 MRS



Propósito
Estimar a precisão da previsão de resposta à quimioterapia neoadjuvante (NACT) em pacientes com câncer de mama localmente avançado usando medidas de espectroscopia de ressonância magnética (MRS) feitas muito cedo no tratamento.

Materiais e métodos
Este protocolo em conformidade com o HIPAA foi aprovado pelo American College of Radiology e pelos conselhos de revisão institucional local. Participaram 119 mulheres com câncer de mama invasivo de ?3 cm submetidos a NACT entre setembro de 2007 e abril de 2010. As medições de MRS da concentração de compostos contendo colina ([tCho]) foram realizadas antes do primeiro regime de quimioterapia (ponto de tempo 1, TP1 ) e 20–96 horas após o primeiro ciclo de tratamento (TP2). A mudança em [tCho] foi avaliada por sua capacidade de predizer resposta patológica completa (pCR) e resposta radiológica usando a área sob a curva de características de operação do receptor (AAC) e modelos de regressão logística.

Resultados
Dos 119 indivíduos inscritos, apenas 29 casos (24%) com 8 pCRs forneceram dados utilizáveis ??para a análise primária. Os desafios técnicos na aquisição de dados quantitativos de MRS em uma configuração de avaliação de vários locais limitavam a captura de dados utilizáveis. Neste conjunto limitado de dados, a diminuição em tCho de TP1 para TP2 teve baixa capacidade de prever ou PCR (AUC = 0,53, 95% CI: [0,27, 0,79]) ou resposta radiológica (AUC = 0,51, IC 95%: [0,27 , 0,75]).

Conclusões
A dificuldade técnica de adquirir dados quantitativos de MRS em um ambiente de ensaios clínicos em múltiplos locais levou a um baixo rendimento de dados analisáveis, que foi insuficiente para medir com precisão a capacidade de medições precoces de MRS para prever a resposta ao NACT.

Fonte: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5464996/

VEJA TAMBÉM:

  • Ressonância Magnética e Espectroscopia de Ressonância Magnética em Demências
  • Monitoramento da ressonância magnética da evolução da lesão na esclerose múltipla


  • Texto Original



    Purpose
    To estimate the accuracy of predicting response to neoadjuvant chemotherapy (NACT) in patients with locally advanced breast cancer using magnetic resonance spectroscopy (MRS) measurements made very early in treatment.

    Materials and Methods
    This prospective HIPAA-compliant protocol was approved by the American College of Radiology and local-site institutional review boards. 119 women with invasive breast cancer of ?3 cm undergoing NACT were enrolled between September 2007 and April 2010. MRS measurements of the concentration of choline-containing compounds ([tCho]) were performed prior to the first chemotherapy regimen (time point 1, TP1) and 20–96 hours after the first cycle of treatment (TP2). The change in [tCho] was assessed for its ability to predict pathologic complete response (pCR) and radiologic response using the area under the receiver operating characteristic curve (AUC) and logistic regression models.

    Results
    Of the 119 subjects enrolled, only 29 cases (24%) with 8 pCRs provided usable data for the primary analysis. Technical challenges in acquiring quantitative MRS data in a multi-site trial setting limited the capture of usable data. In this limited data set, the decrease in tCho from TP1 to TP2 had poor ability to predict either pCR (AUC = 0.53, 95% CI: [0.27, 0.79]) or radiologic response (AUC = 0.51, 95% CI: [0.27, 0.75]).

    Conclusions
    The technical difficulty of acquiring quantitative MRS data in a multi-site clinical trial setting led to a low yield of analyzable data, which was insufficient to accurately measure the ability of early MRS measurements to predict response to NACT.


    VEJA TAMBÉM:

  • Resultados adversos maternos e perinatais em mulheres com pré-eclâmpsia atendidas em nível de estabelecimento na África do Sul: um estudo prospectivo de coorte
  • Será que uma "fuga gêmeo" afetar no primeiro trimestre de bioquímica na avaliação de risco de síndrome de Down?